3 Anos em 1: O Salto do Open Finance em 2024

3 Anos em 1: O Salto do Open Finance em 2024

Em fevereiro de 2021, começou a fase 1 do Open Finance, com as instituições expondo as primeiras informações por meio de APIs padronizadas e descobrindo o novo modelo de mercado de troca de dados proposto pelo Banco Central do Brasil.

Após 36 meses, nosso ecossistema avançou pelo roadmap, introduzindo novas funcionalidades, aprimorando APIs existentes e acumulando um número expressivo de participantes, chegando a quase 30 milhões de usuários finais únicos do Open Finance.

O grande marco deste primeiro triênio do Open Finance foi o compartilhamento de dados: são mais de 40 milhões de consentimentos, informação suficiente para que organizações avancem pela curva de aprendizado e criem ofertas e serviços melhores.

E, na prática, foi o que observamos neste período: agregadores de contas, aumento do limite de créditos, ofertas personalizadas, portabilidade de crédito, alertas de entrada no cheque especial e ferramentas de gestão financeira para pessoas físicas e jurídicas, além de estímulos para que o cliente deixe seu dinheiro na conta de melhor rentabilidade.

As soluções de mercado têm sido positivas e oferecido benefícios a parcelas significativas da população. A partir de 2024, temos o potencial de ampliar exponencialmente as chances de uma pessoa ser beneficiada por uma solução baseada em ferramentas de Open Finance, tudo graças a uma nova fase na evolução do nosso ecossistema.

Construímos, como ecossistema, a base de informações intercambiáveis mais completa e avançada do mundo - é seguro dizer que somos líderes mundiais neste assunto. O que acontecerá a partir deste ano é que estas informações poderão ser ainda mais valorizadas, pois avançaremos nas possibilidades de pagamentos.

Uma camada programática sobre o próprio dinheiro será o divisor de águas no ecossistema do Open Finance, permitindo que uma infinidade de soluções seja criada pelas instituições.

Estamos falando de altíssimos níveis de diferenciação entre empresas e, ao mesmo tempo, de experiências incríveis para o consumidor final.

Transferências Inteligentes

As transferências inteligentes representam uma evolução no roadmap de pagamentos do Open Finance e permitirão que os usuários criem regras para movimentações financeiras automáticas em contas de sua titularidade.

Por exemplo, você poderá definir que, se uma de suas contas entrar no cheque especial no banco A e você tiver saldo no banco B, uma transferência seja feita automaticamente para cobrir esse valor e evitar juros.

Outra possibilidade é a de definir arredondamentos automáticos nas suas transações, acumulando esses valores separadamente para investimentos automáticos.

As opções são variadas.  

Todas as informações criadas pela fase 2 (e também a 4) ao longo de três anos poderão agora ser utilizadas como gatilhos para se transformarem em regras ou condições que disparem uma ação predeterminada. Isso muda completamente as possibilidades de jogo.

E essa é apenas uma prévia do que poderá acontecer no futuro com os pagamentos variáveis recorrentes (VRPs).

Ciclo Virtuoso

As chances de mais pessoas se beneficiarem de soluções baseadas nesse tipo de automação são muito altas, primeiramente porque as instituições criarão suas próprias versões e, segundo, porque os clientes poderão personalizá-las ao seu gosto – tendo controle total.

Isso incentiva mais empresas a entrarem no jogo para não perderem relacionamento com clientes e buscarem diferenciação no mercado. À medida que mais empresas participam, o ecossistema melhora e isso é vantajoso para o cliente.

Com mais clientes participando, mais empresas terão interesse em se envolver.

A chave é que, para criar uma solução inteligente de transferências, a empresa precisa ter acesso aos dados dos clientes; ou seja, não basta apenas participar da fase 3 como detentora de conta, é preciso também envolver-se na fase 2 para receber e expor informações.

A tendência é que tenhamos um ciclo virtuoso que acelere o desenvolvimento do ecossistema e das soluções para os clientes, sem dúvida crescendo os "três anos em um"."

 

Postado em 10/07/2024 por Beatriz Barrett